domingo, 8 de julho de 2012

Relacionamento aberto: você é adepto?





Relacionamento aberto, na minha opinião, é a melhor maneira de se combater traições.


Como evitar traições se ele(a) está com outra pessoa? Isso é simples: seria hipocrisia da nossa parte negar que em um relacionamento estável de 10, 15, 20 anos não haja uma traiçãozinha (nem que seja pela internet), pois todos nós somos adultos o suficiente (eu espero) para não nos ludibriarmos tão facilmente e tomarmos ciência de que não mandamos nas pessoas e muito menos somos donos delas.


Se você não quer ser traído(a), tem de ter muita confiança em seu próprio taco e garantir o fogo da paixão durante séculos com a mesma intensidade de quando conheceu a pessoa no primeiro encontro ou durante a primeira noite de núpcias; uma tarefa que, convenhamos, não é nada fácil; nem sempre estamos com esse pique todo.


Apimente a relação: que tal um fim de semana livre para os dois? Não há problema nenhum nisso, desde que seja com muuuita proteção (nesses casos, o cuidado é mais que dobrado) e a ideia seja reciprocamente aceita. Deixe claro que ele ou ela é o amor da sua vida e vocês estarão apenas dando um chega pra lá na monotonia, mas nada que comprometa o amor entre os dois.


Existe uma diferença muito grande entre relacionamento aberto e relacionamento a três: no relacionamento aberto há uma liberdade expressa por ambos que formam o casal, ou seja, nenhum têm mais liberdade que o outro; ambos se equiparam; além disso, no relacionamento aberto só existe uma pessoa na qual você ama de fato, que é o seu marido ou esposa, namorado ou namorada, sem amor dividido para com terceiros (e caso isso aconteça, é por que você já não ama mais seu parceiro). Resumindo: terceira pessoa num relacionamento aberto é SEM COMPROMISSO e com consentimento do amado ou amada, não há traição e nem vínculo sentimental maior do que pela pessoa que você ama e te autorizou tal liberdade. Tudo que você tiver vontade de fazer com outrem deve ser comunicado ao seu parceiro para ele(a) ficar por dentro de tudo, nada de escondidinhas.


Relacionamento a três parte para um princípio muito distinto e bem mais complexo: a POLIGAMIA.


Não vou falar sobre poligamia, assunto polêmico demais para um domingo.

4 comentários:

  1. Eu respeito as formas que as pessoas escolhem para viver o afeto a dois, a três, ou mais. Não creio em fidelidade ou traição da forma exclusiva e monogâmica como a igreja empreendeu culturalmente como sendo verdadeiramente única. Não é assim. Tudo depende dos acordos que as pessoas estabelecem entre si. Isso eu respeito: os meus acordos. Por isso sempre discuti coisas relacionadas a minha relação antes de tomar decisões sérias.

    ResponderExcluir
  2. Olá pessoal, tenho 21 anos e me descobri soropositivo a 11 meses atraz. No inicio foi uma barra passar por tudo isso, pois não tinha com quem conversar. Hoje me vejo pronto para falar sobre HIV/AIDS, e por isto criei um blog onde posso contar um pouco de minhas experiências com o HIV e ajudar outros jovens que passam pela mesma situação.
    Convido vocês a acessarem minha página e deixar seus comentários e opiniões! Acessem: www.soropositivo.webnode.com

    Curta minha página no facebook e fique por dentro das atualizações do site:
    http://www.facebook.com/pages/Soropositivo/328756927206653

    Obrigado pela atenção!
    http://www.soropositivo.webnode.com

    ResponderExcluir
  3. Eu acho que você tem toda razão. Já vivo com meu companheiro há 14 anos. Mas nós damos nossas saídas até mesmo pra "temperar" melhor a nossa relação. Eu o incentivo a sair com outros caras e ele me incentiva do mesmo modo! Simples assim.

    ResponderExcluir